Não consegui cumprir meus desafios: Lidando com a culpa

consumismo

Quem me acompanha desde o começo sabe que a minha luta contra o consumismo é constante, é um mega desafio que vou aprendendo a cada dia mais. Acontece que não sou perfeita (nem busco ser) e no meio de tudo isso tive vários momentos de recaídas, onde além de não conseguir cumprir os meus próprios desafios, ficava me sentindo culpada e muito pra baixo.Vou explicar: Antes de viver todo esse estilo de vida ~consumenos~ eu achava normal sair e comprar o shopping todo, não via problemas em consumo desenfreado, apesar de me sentir mal com o acúmulo de coisas. Porém, eu não via a óbvia relação entre essas duas coisas.

Acho que nunca comentei aqui no blog, mas fui diagnosticada em 2015 com TAG – Transtorno de Ansiedade Generalizada e aí tudo ficou mais claro. Fiz terapia, tomei remédios, pratiquei atividade física e as coisas foram se ajeitando novamente. Posso depois fazer um vídeo só sobre o TAG e a minha experiência com os remédios. Acontece que eu terminei o tratamento no segundo semestre desse ano e tive mais algumas crises de ansiedade, onde acabei fazendo o que tinha prometido tanto não fazer mais: comprei muitas coisas e dei uma escorregada feia no planejamento financeiro.

Em julho nesse post aqui eu tinha prometido passar 06 meses totalmente sem compras. Mas foi justamente nesse semestre que tanta coisa aconteceu e eu perdi o controle algumas vezes. Agora nesse fim de ano, não deixei o sentimento de culpa tomar conta de mim, mas parei pra pensar e refletir no que me fez tomar aquelas atitudes (Eu, pessoa teoricamente responsável com dinheiro e com a consciência de que não precisa mais comprar nada). Fazendo esse exercício eu fiz a óbvia ligação entre as crises de ansiedade e os surtos de compras. Pra piorar, vivo em um ambiente que respira consumismo, então se manter “limpa” é ainda mais difícil, pois as tentações estão por todos os lados.

No geral eu sou uma pessoa tranquila, sem vícios, mas confesso que enxergo um problema bem grande a ser resolvido. Se antes eu falava que o consumismo era doença, hoje eu falo que é um sintoma e no meu caso, é de ansiedade (que não, não é frescura). Ter saído da Yoga, não conseguir fazer exercício regularmente, tudo parece que vai ajudando a sabotar as nossas metas. Por mais que as coisas que eu comprei fossem necessárias, no fundo eu sabia que não precisava daquilo e estava comprando por impulso e descontrole.

Aproveitando que estou bem no meio desse furacão e como já me conheço relativamente bem nesse quesito, vou voltar a fazer o que me ajudou das outras vezes. O principal é o planejamento financeiro. Voltei a colocar tudo que gasto no Money Wise. Já usei muitos apps de gerenciamento de grana e esse foi o que mais me agradou até agora. Além dele, também fiz uma planilha no excel onde vou atualizar todo fim de mês com um balanço de diversas áreas, assim, ao longo do ano dá pra saber exatamente pra onde o dinheiro foi.

Além disso, vou só pagar essa minha última fatura do meu cartão de crédito e aí vou poder diminuir o limite dele. Atualmente o limite é relativamente alto, mas quero deixar o cartão só pra emergências e pra usar o Uber. Uso o Nubank e essa alteração de limite é bem fácil pelo próprio aplicativo, então vou deixar todos os meses no limite mínimo possível. Apenas se surgir algo bem urgente vou desbloquear.

Sobre o meu maior vício, as roupas, estou deixando de seguir as lojas no Instagram, cancelando todo email marketing que chega e evitando clicar em anúncios. Com certeza as lojas online sempre foram minha maior tentação, mas agora é hora de ser mais firme. Com o limite do cartão no mínimo essa tarefa vai ser mais fácil.

E o mais importante de tudo: vou me tratar. Não vou mais ser uma pessoa ansiosa, mas sim que pode ou não estar ansiosa em determinados momentos, mas sem deixar essas crises comandarem a minha vida. Como eu falei no post de metas para 2017, a cuidar da saúde esse ano vai ser uma coisa primordial, e a saúde mental é extremamente importante e não ficar de fora.

A partir de agora está lançado o desafio publicamente: Vou ficar o ano de 2017 inteiro sem comprar nenhuma peça de roupa e dessa vez não vou falhar. Também vou cuidar da minha saúde e conseguir economizar uma grana pra realizar sonhos maiores. Quem está comigo?

Facebook Comments

Deixe uma resposta