Cosméticos cancerígenos: O Lado B da Beleza

cosmeticos-perigosos

Você tem o costume de olhar o rótulo dos produtos que compra? Não apenas dos produtos alimentícios, mas dos cosméticos e produtos de higiene pessoal? Se não tem, é melhor passar a ter. Existem inúmeras substâncias perigosíssimas para a nossa saúde e que estão escondidas dentro de produtos que deveriam na verdade cuidar da gente.

Quando passei pela transição capilar conheci o No Poo  o Low Poo, técnicas para cuidar e higienizar o cabelo com menos químicos (mas não necessariamente orgânicos). Foi um período de muito aprendizado e foi nessa época que aumentei a minha mania de olhar os rótulos muito bem antes de comprar cada produto. De forma extremamente resumida, a técnica nos diz para ficar livre de produtos não solúveis em água, que acumulam nos fios do cabelo e só saem com sulfatos, substâncias extremamente prejudiciais para o fio. Então é aquele círculo vicioso, você pensa que está cuidando do cabelo, mas na verdade só está entupindo o fio com silicones que na verdade impedem as substâncias hidratantes de entrarem e esse silicone só sai com o sulfato que retira também os nutrientes bons do seu cabelo. Depois posso fazer um post detalhado só sobre a técnica.

Mas voltando aos rótulos, aprendi a eliminar tudo que tivesse óleo mineral e parafina liquida, pois são os componentes que mais acumulam nos fios. A partir daí, também conheci outros componentes: parabenos, silicones insolúveis, triclosan, sulfatos e muito mais. Foi um choque perceber que praticamente tudo que eu tinha em casa era “proibido”. Se estivéssemos restritos só ao cabelo seria tudo bem, mas a questão é que temos substâncias prejudiciais em praticamente tudo: batons, cremes, desodorantes, perfumes, esmaltes, hidratantes, etc etc etc.

Porque esses cosméticos são tão perigosos assim

Segundo o EWG (Grupo de Trabalho Ambiental) uma mulher adulta usa em média 12 produtos que contem 168 ingredientes diariamente. A maioria desses químicos penetram nas camadas da pele e se acumulam pelo corpo. Um dos químicos mais perigosos são conhecidos como parabenos. São conservantes e que estão em praticamente todos os produtos afim de evitar a sua deterioração rápida.

Em quantidades pequenas eles nos dizem que é um composto inofensivo, mas como ele está presente em tanta coisa, acabamos cercados de muito mais parabenos do que imaginamos. Estudos apontam que ele pode causar uma série de alergias  e a questão maior é que esse componente está sendo acusado de ser potencialmente cancerígeno. Os estudos sobre essa substância ainda estão começando, mas essa discussão ainda vai longe por muito tempo. E aliás, podemos desconfiar dele ser perigoso só de ter tanto indício assim.

Existem outros químicos acusados de interferirem nos hormônios, os mais comuns são chamados de ftalatos e geralmente estão presentes em esmaltes e perfumes, além de inúmeros produtos plásticos. Em uma pesquisa rápida no Google sobre essa substância já chegamos a esse resultado:ftalatos cosméticos

Mas como essa fonte não é científica fui ao Google Acadêmico procurar por artigos e encontrei esse bem interessante chamado A influência da exposição ambiental a disruptores endócrinos no crescimento e desenvolvimento de crianças e adolescentes publicado em 2015 na Revista Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo. Ele fala não somente dos ftalatos, mas de disruptores endócrinos no geral e aponta a relação dessas substâncias com alterações hormonais, câncer de próstata, diminuição da fertilidade, entre outros. Disruptores endócrinos são as substâncias químicas que interferem no nosso sistema endócrino, podendo causar diversos danos.

Evitando substâncias perigosas

Até agora citei apenas duas substâncias, mas os químicos nocivos à nossa saúde são inúmeros e não caberia em uma postagem só. Pretendo aos poucos fazer postagens sobre cada um deles e dicas para se cuidar de forma natural e saudável. Basicamente, os químicos a serem evitados mais comuns são: parabenos, chumbo, triclosan, retinol, PEG’s, alumínio, óleo mineral, sulfatos e toluenos.

Eu sei que são muitos nomes e é difícil mudar hábitos que temos desde sempre. Eu mesma estou mudando os meus cosméticos aos poucos e a cada dia é um aprendizado novo. Conforme eu vou aprendendo, vou compartilhando com vocês. Estou bem feliz de ter conseguido abolir de vez o desodorante (produto extremamente nocivo, em breve um post só sobre ele!) e de ter começado a utilizar produtos orgânicos, mas ainda há um longo caminho pela frente.

Eu devo parar de usar cosméticos?

Não! É possível sim continuar se cuidando, utilizando cosméticos sem preocupação. Existem algumas dicas bem legais para isso.

  1. A primeira é você ter uma lista no bloco de notas de marcas seguras e de componentes proibidos, assim fica mais fácil fazer compras.
  2. Simplifique! Escolha cosméticos que contêm o menor número possível de ingredientes. Eles são tão eficientes quantos os outros, mas contém menos químicos.
  3. Faça você mesmo: Açúcar, óleo de coco, argila, borra de café… São apenas alguns dos ingredientes super acessíveis e que têm efeitos fantásticos para o nosso corpo.
  4. Questione as marcas: Temos que mostrar que nós, enquanto consumidores, estamos preocupados com a nossa segurança e saúde. Exigir das marcas mudanças, questionar sobre a origem dos produtos… Tudo isso é importante para mostrar para as grandes corporações que existe demanda para uma vida mais saudável e que é hora de mudanças.
  5. Consuma cosméticos orgânicos e naturais.

Cosméticos veganos, orgânicos e naturais não são a mesma coisa, mas têm em comum a maior preocupação ambiental e são eles que você deve procurar na hora de fazer as compras.

  • Cosméticos veganos são aqueles que não são testados em animais e não possuem nenhum componente de origem animal em sua composição. Também conhecidos como cruelty free, não necessariamente são naturais. É preciso ficar de olho no rótulo
  • Cosméticos naturais são aqueles que contém pelo menos 95% de ingredientes naturais e 5% de ingredientes orgânicos. De qualquer forma, a lei brasileira não é muito rígida com o rótulo dos produtos. Então nem sempre estar escrito natural significa que ele realmente é. Para ter certeza é legal procurar pelo selo do IBD e EcoCert.
  • Cosmético orgânico é aquele possui 95% de ingredientes orgânicos. Em relação à confiança e saúde, é a melhor opção.

Nossa, muita denominação, né? Eu sei que parece muita informação junta e pode ficar confuso para entender. Por isso esse post é só introdutório e em breve pretendo fazer publicações mais detalhadas e com mais dicas para quem quer consumir cosméticos de forma saudável e segura.

Pra fechar, confira a animação Story of Cosmetics, lançada em 2010 pelo The Story of Stuff Project e a Campaign for Safe Cosmetics e mostra tudo isso que conversamos aqui de forma bem ilustrada e prática.

Para quem quer conhecer mais sobre o tema:

  • Indico o blog Lookaholic da Nyle Ferrari, jornalista autora de e-books sobre cosméticos naturais e beleza saudável.
  • EWG – Grupo de Trabalho Ambiental. Muita informação boa sobre os mais diversos assuntos relacionados ao meio ambiente.
  • Safe Cosmetics – Um projeto que está no ar desde 2004 e visa pressionar a indústria para criação de cosméticos mais seguros
  • O próprio Google Acadêmico que está recheado de artigos científicos sobre as mais diversas susbtâncias químicas e seus perigos para a saúde.
  • IBD – Órgão regulador de cosméticos naturais.

 

 

Facebook Comments

3 Comment

  1. Muito interessante e esclarecedor!
    Bj e fk c Deus.
    Nana
    http://procurandoamigosvirtuais.blogspot.com.br/

  2. Michelle says: Responder

    Oi Keloane, começando a me interessar por makes naturais, vi seu video falando do puro gel de aloe, você tem indicações de marcas boas e confiáveis que trabalhem com maquiagem natural? E de algum site ou canal que possa utilizar pra me aprofundar? adoro seus vídeos

    1. consumenos says: Responder

      Oi, Michelle. Tudo bom?

      Indico o blog da Nyle (Lookaholic) e também o Acorda Bonita, da Karina.

      Beijos!

Deixe uma resposta